sábado, 25 de junho de 2011

SÃO JOÃO

Eita moço... hoje é dia de São João, amanhã tem a fogueira na comunidade que leva o nome do santo, uma fogueirinha de uns 30 mts de altura (coisa pouca). Eu lembro bem que quando eu era pequeno, sempre tinha estas festas nas escolas da cidade, e por coincidência, ou não, sei lá eu, eu sempre era o noivinho em todas as escolas do meu primário, e por mais coincidência ainda, a noivinha sempre foi uma amiga minha em todas elas também, (muita gente ainda falava que nós dois ia-mos acabar casando de verdade) foi assim no Colégio Santo Antônio, no Carlos Gomes e na Escola Lacerda Braga, aliás, nesta última, não podiam fazer festa junina que já davam um jeito de me procurar, eu era famoso...hehehe...
Mas mesmo assim não ganhei nenhum prêmio por isso e não fiquei rico...buáááááá... Mas hoje estou crescidinho, não muita coisa de diferença de antes, mas cresci, lembro ainda que meu par era bem maior que eu, uns 20 cms a mais imagino, e ainda com o saltinho, aí parecia meio metro, sei lá. O mais dificil na hora da dança, era aquela istória do rodopio, que rodava as mocinhas, pra mim aquilo era o fim, quando eu tentava rodar, quase sempre a minha mão escapava, pois o tamanho não ajudava, aí eu já me perdia, se bem que não era só naquela parte que eu me perdia, e também sempre tinha uma das ''tias''(que na verdade eram professoras nossas mas a gente chamava de tia, pois era bem mais facil, senão saía um ''fessora'', ''pssora'', essas coisas, lembra?), então, tinha as tias que ficavam dando aquelas dicas pra gente dançar conforme elas mostravam, eu já nem olhava mais pra elas, pois sabia ''de cór e saltiado''(gírias daquela época) como se dançava a quadrilha, quando acabava, e todos nós já tava-mos despedindo do público, eu já pensava - ''graças a Deus, acabou, essa botininha tá arrebentando com meu lindo pézinho fofucho de criancinha de 7 anos'' - não exatamente com essas palavras, mas bastava o outro ano chegar, e lá estava eu, mais uma vez, com aquela calça com remendos que minha mãe colocava, a camisa de flanela xadrêz com uma palha de milho no bolso, o chapéuzinho de palha, com a cara toda pintada parecendo uma onça reumática (lembra do Chaves?), e denovo a botininha que apertava meus lindos pézinhos agora com 8 aninhos... ai...ui...ai... Sem falar no chulé que aquilo dava, ''minhas arma'', era terrível.
Mesmo assim, eu sinto falta daquele tempo de quadrilha, se fosse hoje, falasse que ia ter uma quadrilha que o povo já vai imaginar um bando de gente sendo presos por furtos, roubos...kkkkk...
Era sofrido, mas era gostoso, hoje que já estou um pouco grande (não muito na verdade, mas em relação a época né...) fico pensando como era bom, as antigas festas, não que eu seja tão velho assim, todo o encanto está se perdendo com a nova geração (restart de ser) de crianças, quem sabe um dia isso volta ao normau.
Por hoje é só mas sábado estaremos de volta, eu aqui no meu...ops... exagerei... Boas festas juninas pra todos nós.

PS: O post era pra ter saído no dia de São João mesmo, mas como eu comecei a escrever meio tarde, passou da meia noite...hehee...

Nenhum comentário: